sábado, 22 de agosto de 2009

NaNa e ELE: uma história de amor sem memórias


ELE: oiiii!
NaNa: ... (em pensamento: ahn? quem? qdo? onde? é comigo? vou olhar pra trás pra conferir se é comigo!)
ELE: oiiiiiiiiii, Nana! tudo bem?
NaNa: ... (em pensamento: nossa ele sabe meu nome!)
ELE: vc está me ouvindo?
NaNa: sim. (em pensamento: será que posso perguntar o nome dele? ou eu deveria saber o nome dele?)
ELE: tudo bem com vc, Nana?
NaNa: sim. (em pensamento: por que ele fica repetindo meu nome???)
ELE: hahahhaah não parece a mesma pessoa que conheci! está monossilábica hoje!
NaNa: (em pensamento: lembro dessa risada!)
ELE: nem acredito que reencontrei você! adoro esse lugar e nunca te vi aqui! que sorte a minha!
NaNa: sorte nossa! (em pensamento: não sei o nome dele, mas ele é bonito! talvez sirva pra alguma coisa!)
ELE: hahahahah consegui duas palavras! estou mesmo com sorte!
NaNa: vem, vamos petiscar e bebericar algo! Estamos com muita sorte hoje! (em pensamento: preciso lembrar o nome dele! algum amigo em comum??? alguém vai falar com ele e chamá-lo pelo nome! hahahaha assim, espero!)


NaNa conheceu ELE há alguns dias. no amanhecer do dia. em uma conveniência. depois de um café forte. depois de uma balada. depois de uma perseguição. depois de algumas cervejas. beijou e foi beijada. o dia amanheceu. chegou em casa com o sol a pino. se divertiram. contou que não reconheceria ele se o reencontrasse. duvidei. mas, aconteceu. NaNa sempre disse: "não sou mulher pra beber e beijar, ou bebo ou beijo. não sirvo pra nada depois de algumas doses." agora entendo a fala dela! realmente. nem a memória funciona!

Um comentário:

  1. assim como nana eu tbém ou bebo ou bjo ou ferro com a vida d alguém! rs

    ResponderExcluir

DESTILE SEU VENENO