quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Última do ano!

Recebi isto, li e concordo! Leia! Veja o que acha desse texto!


Relacionamento
Arnaldo Jabor

Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida.
Detesto quando escuto aquela conversa:
- 'Ah, terminei o namoro...'
- 'Nossa, quanto tempo?'
- 'Cinco anos... Mas não deu certo... acabou'
- É não deu...?

Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?

E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
TUDO, nós não temos. Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.

Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante... e se o beijo bate, se joga... senão bate, mais um Martini, e vá dar uma volta.

Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer. Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.

Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você. E vice versa.

Não fique com alguém por dó também. Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.

Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói. Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer...

A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.

E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar. Ou se apaixonar. Ou se culpar.

Enfim...quem disse que ser adulto é fácil?

Menos um ano ou mais um ano?

Inspirada pelo livro de Kundera, escrevo hoje estas linhas.
Qual o livro?
"Risíveis Amores: sete histórias de amor extremamente originais".
Não pretendo falar sobre o livro, mas sobre um dos contos, especificamente: "Que os velhos mortos cedam lugar aos novos mortos". Você já pensou como será ou estará seu corpo daqui quinze anos? Você sabe que seu corpo está morrendo e se renovando a cada dia e que as células diminuem a intensidade de se reproduzirem conforme o tempo passa, né? Pois é, você já imaginou encontrar alguém daqui dez, vinte, trinta anos? Alguém com quem você transou na sua juventude, quando não haviam rugas em seu rosto, quando sua pele era macia, seus músculos definidos, haviam até cabelos em sua cabeça e eles eram castanhos, pretos, loiros com mechas ou sem, mas haviam cabelos, suas mãos e seus cotovelo eram lisos?
O conto de Kundera expressa isso. A ação do tempo sobre os corpos de um homem e uma mulher que se conheceram na juventude, tiveram uma relação sexual e se desencontraram. Anos depois se reencontram e a ação do tempo sobre os corpos os fazem relembrar a relação sexual que tiveram no passado, o sexo no escuro e a ausência da imagem do físico de ambos. Por conseguinte, o desejo dele por ela e dela por ele. Mas, e o que o tempo fizera em seus corpos? Isso preocupa, especialmente, ela. E por mais desejos que ela tivesse, seu pensamento fora tomado pela ausência de tonicidade em seus músculos, pelo pescoço agora enrugado, pela flacidez da pele. O final da história, ah! simples! Ele a convence de que ela continua bela, pois alguns traços de nós permacem os mesmos como coçar os olhos, passar a língua nos lábios para umedece-los, nosso olhar para seduzir e ser seduzido, enfim, essas coisas que o tempo não consegue agir...
Não havia pensado nisso ainda. Depois que li o conto, imaginei que mais um ano acaba, que tenho mais um ano de experiências em minha vida pra recordar, que tenho menos um ano de vida! O que eu desejo a mim e a vocês é:
Boa sorte, espero que o tempo, a gravidade e o estress demorem mais pra agir em seus corpos.


Você achou essas linhas deprimentes? Eu também! Conscientemente não era essa minha intenção, mas inconscientemente, pode ser que sim! Por isso siga o pensamento do Guia Gay: Não sofra. Faça Piada!
Siga os passos de Madonna, pois você envelhecerá e seu corpo responderá ao tempo e à gravidade como no de todos os mortais. No corpo de Madonna não há gravidade, não há tempo, não há estress. Há dinheiro para cirurgias, malhação com personal trainer no estilo general, dieta balanceada e etc. Tenho certeza que os homens com quem Madonna dormiu na juventude, continuam desejando seu corpo, talvez, mais hoje do que antes e que ela não terá problemas em transar com eles por causa das marcas temporais do corpo dela, mas deles!(rs)

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Fantasia sexual realizada


Enquanto uns sonham em fazer sexo em banheiro de avião, na praia, em vias públicas, outros têm lugares mais inusitados.
Em mais uma mesa, conheci um ser inusitado, Vinicius, 20 e poucos anos, divertido, aventureiro e ecologicamente correto. Este ser me confidenciou que por muito tempo tinha o desejo de fazer sexo em um balão em movimento, sim, lá nas alturas. Pois bem, o tempo foi passando e ele começou a namorar. Namorou, namorou e nada de sexo no balão. Quando achou que não ia rolar, pois era só uma fantasia e fantasias devem continuar sendo fantasias, eis que aconteceu! Segundo ele: "Foi a melhor! Uma experiência incrível! Ter um orgasmo nas alturas, com o céu e as nuvens pertinho... foi fantástico!".
E você? Realizou alguma fantasia em 2008?

sábado, 27 de dezembro de 2008

Curitibanos surpreendem pesquisa


Pesquisa realizada pela Mosaiko Brasil, em dez capitais brasileiras, afirma que os curitibanos são os que menos fazem sexo em relação à média nacional.

Os homens curitibanos são os que menos fazem sexo entre as dez capitais pesquisadas (2.7 vezes por semana, enquanto a média nacional chega a 3.1), são os que menos usam preservativos, são os que mais iniciaram a vida sexual com a namorada, e os que têm menor número de parceiras ao longo da vida. Homens com poucas parceiras, pouco sexo e pouca camisinha. Bastante normal no meu ponto de vista. Se tem poucas parceiras, vai fazer menos sexo, se faz pouco sexo usa pouca camisinha. (rs)

As mulheres são as que menos fazem sexo (2.1 vezes por semana enquanto a média nacional chega a 2.7), são as que menos diferenciam a vida sexual da afetiva e as que têm o menor índice de satisfação em relação à vida sexual. Este último dado me fez pensar: por que as curitibanas que fazem pouco sexo são insatisfeitas sexualmente? Alguns afirmam que quantidade não é qualidade. Será que por fazerem pouco sexo é mais difícil ficarem satisfeitas e atingirem o orgasmo? Ou será que são insatisfeitas porque querem mais sexo e não têm?

Meus amigos curitibanos se defendem, se a pesquisa foi feita no inverno curitibano eu não sei, o que sei é que paulistas e cariocas reclamam do conservadorismo paranaense na cama.

Por isso lá vai a DICA: quando você conhecer alguém pergunte além do nome e do que faz, se é solteiro (a), hetero, homossexual, paranaense... (rs)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

grande ou pequeno: camisinhas em spray! ONDE? CADÊ?




Você se lembra de comentarem sobre a camisinha em spray, em 2006? A novidade era que o produto oferece maior segurança que o preservativo convencional, dava para todos os tamanhos de pênis, a espessura da camisinha dependia do consumidor, etc. A idéia era interessante, mas nunca chegou ao Brasil! Ou pelo menos eu não tive notícias deste lançamento por aqui! Se alguém souber, por favor, me avise!

Leia mais:
http://blogsaladadefrutas.com.br/2008/06/25/camisinha-em-spray/
http://seligajovem.blogspot.com/2007/11/camisinha-em-spray.html
http://oinfomavaro.blogspot.com/2008/02/camisinha-em-spray.html
http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,AA1376094-5603-45,00.html
www.vidadigital.info/blog/camisinha-em-spray-sera-que-funciona

Off line ou sem sexo? O que você prefere?


Você aguntaria ficar 1 mês sem acesso a internet?
Você suportaria ficar 1 mês sem sexo?

O que você preferiria? 1 mês sem sexo ou 1 mês sem acesso a internet?
Acredite, a maioria da populaçao que já provou as delícias do sexo e as gostosuras da internet preferem ficar sem sexo a ficarem sem internet.
E você? O que prefere?

Adoro a internet e sei que ela promove muitas facilidades em minha vida, tenho muitas informações e diversões online. E, sempre que eu quero ela me promove prazeres, mas nada comparado ao sexo e sexo virtual é masturbação, as vezes com dildos e acessórios, mas continua sendo masturbação! Você se masturbar é uma coisa! Você ser masturbado é outra coisa! E tudo bem que você pode conseguir seus casinhos na internet, em salas de bate-papo, mas ainda assim prefiro o face-to-face. Acredito e já consegui ficar sem internet. Foi um sacrifício e sempre recebia reclamações do tipo "por que você não foi?!?!?!" ou "por que você não respondeu???". Chato ouvir isso, me senti fora do mundo, fora da realidade.
Ficar sem sexo por 1 mês é mais fácil. É você e mais uma pessoa, indivíduo ou parceiro (a) ou companheiro (a), mas ficar sem internet é você sem contato com muita gente, acontecimentos e informações... Talvez por isso as pessoas prefiram ficar sem sexo. Tudo bem que considero a pratica sexual saudável e uma questão bem-estar, mas internet também o é! Enfim, prefiro assim como a maioria ficar sem sexo. E você?

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Ministério da Saúde adverte: sexo não tem idade, proteção também não!



Se você tem entre 25 e 49 anos fique esperto! A maioria dos casos de Aids diagnosticados nos últimos anos está entre esta faixa etária! E se você tem ou conhece alguém acima dos 50 anos fique esperto também, pois a taxa de incidência entre pessoas acima de 50 anos aumentou, aliás dobrou no período de 1996 e 2006! Outro dado apontado pelo Ministério da Saúde é que dos casos diagnosticados na faixa etária acima dos 50 anos, a maioria são homens. Além disso, o número de mulheres contaminadas com o vírus aumentou. (Cuidado com seus maridos e namorados! Levem eles pra fazer o teste!).
Por conta destes dados o Ministério da Saúde lançou no Dia Mundial de Luta Contra a Aids a campanha "Sexo não tem idade, Proteção também não!".
Ao ler a notícia no site aids.gov.br, pensei apenas que os casos de Aids podem realmente ter aumentado ou a população está, realmente, fazendo uso do seu direito de saber, procurando fazer o teste de HIV nos postos de saúde e nos centros de testagem e aconselhamento (CTA).

Quer saber, se você é sexualmente ativo, fique esperto!
USEEEEEEEE camisinha!

Semana de Luta contra a aids: leia mais!



Entre, leia, se informe!


http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5hSKD6aEno1ZilWl4-nYuQCTouqdQ

http://www.aids.gov.br/fiquesabendo/

http://mixbrasil.uol.com.br/mundomix/saude/aids_2004/aids_dia.asp

Muitos falam, poucos fazem! Faça sua parte!


Todo mundo comenta no início de Dezembro o Dia da Luta Mundial contra a Aids. Mas, o que efetivamente está sendo feito??? Além de discutir, falar, conversar e lembrar da data?
Todo dia é dia de Luta contra a Aids. Todo dia é dia de levar uma picadinha e fazer o teste! O direito de saber é seu e você deve exerce-lo!
Aproveite e peça camisinhas para seus amigos e pra você, é claro! Se for o caso, peça gel lubrificante e se, ainda for o caso, peça camisinha feminina! [pra você experimentar ou pra você conhecer]. O governo tem verba destinada para a manutenção e e a distribuição de ambos preservativos e isto é obrigatório nos postos de saúde!
Aproveite ao máximo sua visita ao CTA ou à qualquer unidade de saúde abaixo relacionada!


Faça parte da rede (não oficial) "Amigos do CTA", vá e leve um(a) amigo(a)! Prometo que ninguém no CTA julgará você porque é homossexual, heterossexual, bissexual, travesti, porque "esqueceu" a camisinha, fez sexo oral sem camisinha ou enganou o(a) marido (esposa), namorado (a), caso, porque tem duas esposas ou três maridos... isso pouco importa! o que importa é você saber como está uma parte da sua saúde sexual! vai lá!

domingo, 30 de novembro de 2008

DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A AIDS - FAÇA O TESTE no CTA ou nas Unidades de Saúde!!!


Todo mundo já sabe que o dia primeiro de dezembro é o dia da fitinha vermelha...
e daí?
Você foi fazer o seu exame de HIV, Hepatite B e C e Sífílis no CTA? Quando você vai mesmo? Que tal ir nesta semana? Se você for esta semana, saberá até o Natal se está contaminado ou não.

AH! Você não sabe onde é o CTA?

Vai lá:
Rua Tabaetê esq. com R. Assunção S/N - Policlinica Zona Sul (próx. av. cerro azul)
Telefones: (44)3901-1164 ou 3901-1163
Horário de atendimento p/ coleta do sangue:
TESTE RÁPIDO - apenas teste de HIV (40 min aprox.) segunda as 13hr e quarta as 9hr
TESTE CONVENCIONAL ( HIV, Sífilis, Hepatite B e C) de segunda à quinta das 7 às 18hr.

Ou procure a unidade de saúde (postinho) mais próxima de sua casa:
NIS II Alvorada I - tel: 3901-1701 - R. Alexandre Rasgulaeff, 498
NIS II Alvorada III - tel: 3901-1031 - R. Alfredo José da Costa, 567
NIS II Cidade Alta - tel: 3901-1728 - R. Ataulfo Alves, s/n ao lado Esc. Vinícius de Moraes
NIS II Floriano - tel: 3260-1121 - Av. Antonio Santiago Gualda, 793
NIS II Grevileas III - tel: 3901-1848 - R. Quirí, esq. c/ R: Peruíbe
NIS II Guaiapó-Requião - tel 3901-1848 - Praça Miguel de Oliveira, esq. R. San Martin
NIS III Iguaçú - tel: 3901-1924 - Av. Nildo Ribeiro da Rocha, 5328
NIS II Iguatemi - tel: 3276-1144/3276-1523 - R. Piracatu, esq. c/ Otávio Franco
NIS II Industrial - tel: 3901-1705 - R. Lobélia, 269
NIS II Internorte - tel: 3901-1759 - R. José Fermino Barbosa, 255
NIS II Jardim Olímpico - tel: 3901-2254 - R. Uirapuru, 586 Jd. Olímpico
NIS II Mandacaru - tel: 3901-1711 - Av. Mandacaru, 465
NIS II Maringá Velho - tel: 3901-1713 - R. Antonio O Scramin, 1836
NIS II Morangueira - tel: 3901-1722 - R. Felipinas, esq. c/ R. Montevidéo
NIS II Ney Braga - tel: 3901-1882 - R. João de Barro, esq. com R. Ema
NIS II Parigot de Souza - tel: 3901-1824 - Av. Sophia Rasgulaeff, esq. Herbert Mayer
NIS II Pinheiros - tel: 3901-1914 - R. Valeriana, 282
NIS II Quebec - tel: 3901-1884 - R. Letícia de Paula Molinari, s/n
NIS II São Silvestre - tel: 3901-1719 - R. P. Euclides Gaviolli, s/n - esquina c/ Antonio Tait
NIS II Universo - tel: 3901-1709 - R. Galáxia, 212
NIS II Tuiuti - tel: 3901-1704 - Av. Tuiuti, esq. c/ R. Caracas
NIS II Vila Esperança - tel: 3901-1743/3901-1160 - R. Domingos Miranda, s/n
NIS II Vila Operária - tel: 3901-1150 - Praça Regente Feijó, s/n em frente ao Centro Esportivo
NIS II Aclimação - tel: 3901-2249 - Av. Guedber, CESUMAR, Bloco 5
Policlinica Zona Sul - tel: 3901-1857/3901-1886 - R. Tabaetê esq. c/ Assunção


FIQUE SABENDO! É UM DIREITO SEU!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Idéias Ideais: Guia gay

Um blog muito engraçado e divertido! Entre e se delicie!
Guia gay. Não sofra. Faça piada!
http://oguiagay.blogspot.com/




Porque amamos...
Ficante-Romântico: Você gosta de romantismo?
Alex: Eu sou romântico.
Ficante-Romântico: Sério?
Alex: É...só faço sexo por amor.
Ficante-Romântico: Jura?
Alex: Anham...por amor à mim.

Vai lá!

Revista Piauí e Banksy


Algumas vezes as imagens dos graffites de Banksy ilustram este blog e desta vez os graffs de Bansky ilustram a revista Piauí, um portfólio pequeno, mas válido!
Visite, conheça um pouco da história deste ser que apenas reconhecemos a existência porque vimos seu nome e sua arte em alguns espaços no mundo!

http://www.revistapiaui.com.br/edicao_26/artigo_811/A_marca_do_Zorro.aspx

Apolinário: meu é saco vermelho


Mais um vídeo do Porta Curtas!

Em meio às festividades natalinas, olha quem veio acordar e visitar Apolinário!
Cuidado com a hospitalidade alheia neste fim de ano! rs

http://www.portacurtas.com.br/pop_160.asp?Cod=8730

Animação!!! animação!!!


Uma animação divertida pra quem tem a mente aberta. Uma animação feia pra quem fica horrorizado com a HOMOAFETIVIDADE!
Uma animação!
Pense assim, assista e poste seu comentário!
Muita coisa interessante no Porta Curtas!

Animação: "A descoberta de Luke"
De Alan Nobrega

http://www.portacurtas.com.br/pop_160.asp?Cod=8723

sábado, 22 de novembro de 2008

Sexo oral e virtual

Coisas engraçadas encontradas por Dali e enviadas à mim!




"...um pouco mais pra direita, benzinho!"

Encontrado em:
http://etcsa.blogspot.com/2008/11/sexo-oral-geek.html

SEXO: problemas verticais, problemas horizontais e acessos


Em meio a algumas conversas com amigos, percebi que o sexo é problema pra quem num tem com quem fazer, é problema pra quem tem com quem fazer, é problema pra quem faz, enfim, sexo é problema. Sexo é problema? Acreditava que sexo fosse solução. Acreditava que os casais fizessem mais sexo do que os solteiros. Parece que não.

Um dia, um amigo, uma conversa.
Trecho de uma conversa com um amigo que namorou por anos:
Ele: ...depois de um tempo, o sexo é raridade no relacionamento. Tudo, tudo, tudo era motivo pra não fazermos sexo.
Eu: Como assim? Tudo o que?
Ele: ah, sei lá! o tubo da pasta de dente aberto, a roupa em cima da cama, a meia no chão, o cinzeiro cheio, o perfume, parece que vocês, mulheres, unem tudo aquilo que vocês não gostam que nós, homens, fazemos e levam pra cama. Aí, como amamos e desejamos, quando vamos incitar o sexo. NADA! Ouvimos as velhas desculpas esfarrapadas "estou com dor de cabeça!" ou "estou muito cansada!"
Eu: mas, cadê a comunicação??? Ninguém fala sobre o cinzeiro cheio e fedido? Ninguém discute quem vai ficar responsável pelo cinzeiro? Por que não fazer algo, se você sabe a importância disto pra outra pessoa?
Ele: (pensou pra responder) ...as coisas eram ditas, mas eu me esquecia. Talvez porque não fosse importante. Talvez o esquecimento era porque não era importante. Mas, é foda esse lance que vocês têm de levar tudo pra cama.
Eu: Talvez seja porque não dá pra selecionar as opções que você deseja ainda. "Quero apenas o tronco, o pênis, claro, e conversas sobre natureza morta. Assistiu AI, Inteligência Artificial?
Ele: Assisti e já entendi!
Eu: Entendeu o que? Entendeu que quando a horizontal não vai bem, isso significa que você tem problemas na vertical? E que problemas na vertical nunca são reflexos dos problemas na horizontal? Mas, problemas na horizontal são reflexos dos problemas na vertical? Ou seja, ausência de sexo (horizontal) no relacionamento a dois, três ou quatro são problemas provenientes das conversas não entendidas, da falta de tato pra perceber o que é importante para o outro, perceber detalhes (vertical).
Ele: Será que é mais fácil viver como prescreve Roberto Freire? (Vocês já leram "AME E DÊ VEXAME"? Em breve comentarei sobre o livro).
Eu: Você não seria capaz de aceitar um relacionamento aberto, onde vc e a outra pessoa tenham liberdade para estarem com outras pessoas! Você é possessivo! Nascemos e fomos criados numa sociedade onde as pessoas numa relação, seja ela qual for, dizem e tratam umas às outras como donas, são posses. Pronome possessivo. MEU namorado! MINHA mãe! MEU patrão! MINHA funcinonária! MEU, MINHA, SUA, TUA, VOSSA, DELA!
(risos)
Ele: É, seria complicado! Preciso me lembrar desse lance de vertical e horizontal...


Outro dia, outra conversa, outro amigo, o mesmo assunto.

Ele: ...hummmm. acho estranho essa conversa de problemas na vertical que se refletem na horizontal! Acho que o que acontece é apenas que quando você tem a possibilidade diária e constante de sexo, ele deixa de ser algo que você não tem e quer.
Eu: O sexo deixa de ser algo que se deseja? Como assim? Mas, em um relacionamento não é de se esperar que o outro te deseje? Não entendo, me explique!
Ele: Eu não sei, mas que depois de um tempo você deixa de ter tantos impulsos sexuais isso é verdade e acontece. Deve ser natural!
Eu: Natural? Natural é o vento, a chuva, os pássaros voarem, isso é natural! Você deixar de sentir desejos sexuais pela pessoa que você diz amar, isso não pode ser natural!
Ele: Olha, eu não sei exatamente o que acontece, mas que o sexo deixa de ser prioridade ou um detalhe importante. Isso é real!
Eu: Você não acha que coisas que acontecem no dia-a-dia do casal ou coisas que são feitas por um para o outro não interferem na vida sexual do casal? (minha vontade era dizer: "Não seriam problemas verticais?", mas como ele negou no começo da conversa essa possibilidade, era melhor não falar termos como "vertical" e "horizontal").
Ele: Pode ser... mas, acho que o sexo diminui porque é acessível. Você não perde tempo seduzindo, você faz!
Eu: [(em pensamento)Que horror! Cadê sua imaginação??? Não há mais fantasias e desejos secretos???]. Sério? Mas, o que há, quando há, é sexo máquina? Fica-se pelado, excitadinho, penetra, goza e fim!?!?!
Ele: Não! O que quis dizer é: há fatores e fatores pra diminuir o sexo numa relação, mas que uma das razões é a acessibilidade.
Eu: Tá, então, se eu casar terei menos sexo do que hoje que sou solteira e não tenho um namorado, porque o acesso ao sexo será irrestrito?
Ele: hummmmm... não. Mas, que você terá menos sexo do que um dia achou que teria se casando, isso é real!
Eu: Mais um motivo pra não casar!

Embora este amigo não tenha assumido que problemas na vertical são levados pra horizontal, eu quis publicar, pois se você tem como problema sexual a ausência de sexo, analise e busque as razões. Acredito que não serão por conta de que como você tem acesso todos os dias, não deseja mais todos os dias.

domingo, 2 de novembro de 2008

Sou gorda e faço sexo!



Li uma reportagem ( http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/bbc/2008/10/31/ult4432u1773.jhtm ) e relembrei de uma conversa com meu amigo para assuntos sexuais Alex!

A discussão.
O tema da conversa era sexo e se a beleza ou o corpo ajudavam na hora da escolha do parceiro sexual. Me lembro de que os argumentos do Alex eram baseados em observações em festas, onde ele percebia que as mulheres mais bonitas (magras ou com o corpo em forma) sempre acabavam sozinhas no final da festa, enquanto as mais gordinhas e/ou fora de forma sempre iam embora acompanhadas e sorridentes.
Será que a beleza ativa a insegurança nos homens, ou será que a beleza serve de repelente aos homens? Ou ainda, será que as mulheres acima do peso têm mais auto-estima e por isso se expressam melhor quando têm algum interesse?



A conclusão.
A reportagem da BBC, publicada na uol, diz que foi feita uma pesquisa onde 92% de mulheres acima do peso afirmam ter uma história de relações sexuais com homens, comparado com 87% das mulheres com um IMC (Índice de Massa Corporal) normal.
Ao mesmo tempo que achei a reportagem interessante, fiquei pensando que para que esses dados fossem levantados, foi necessário que alguém achasse que as mulheres acima do peso não têm uma vida sexual ativa! rs Elas são mais felizes sexualmente que as magrelas!
ADOREI!

Meia Amazônia Não


Entre e assine a petição online!

Site desenvolvido em flash! Você pode acompanhar quem assinou, se assinou e divulgou e se não assinou e nem divulgou! Conforme você convida as pessoas, nasce uma folha ao lado da sua folha! É bonitinho!

Vale a pena assinar!!!

Entre:
http://www.meiamazonianao.org.br/

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Imagens que falam por si!

Banksy, vai lá: http://www.banksy.co.uk

Não tenho os mesmos direitos, mas tenho os mesmos deveres!



DIGA SIM AOS DIREITOS IGUAIS AOS CIDADÃOS DESTE BRASIL!
Eles pagam impostos e respondem judicialmente como qualquer cidadão brasileiro, que tal começar a tratar todos como seres humanos e respeitá-los enquanto tais!
Cuidado com o seu preconceito, você pode deixar de conhecer pessoas fantásticas, inteligentes e divertidas.
Como nossa amiga Dali postou no seu blog: http://usosdainternet.blogspot.com/, e conforme o sempre atual Cartola: "VELHO É O SEU PRECONCEITO".

Levanto a bandeira do RESPEITO.
E que tal um movimento "velho é o seu preconceito"?

Vote pela criminalização da homofobia:
http://www.naohomofobia.com.br/home/index.php

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Aborto: mostre o que você pensa!

Encontrei no blog da Márcia Tiburi um link interessante: "Católicas pelo direito de decidir". Na hora imaginei que seria interessante, pois me trazia a mente algo do tipo emancipatório. Quando me dei conta mais uma notícia interessante acerca do aborto. Decidi publicar texto na íntegra, publicado dia 24/09/2008, disponível em: http://catolicasonline.org.br/ExibicaoNoticia.aspx?cod=308.



MANIFESTO CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DAS MULHERES QUE PRATICAM ABORTO
Em defesa dos direitos das mulheres

(para aderir: http://www.frentepelodireitoaoaborto.blogspot.com/ )

Centenas de mulheres no Brasil estão sendo perseguidas, humilhadas e condenadas por recorrerem à prática do aborto. Isso ocorre porque ainda temos uma legislação do século passado - 1940 -, que criminaliza a mulher e quem a ajudar.

A criminalização do aborto condena as mulheres a um caminho de clandestinidade, ao qual se associam graves perigos para as suas vidas, saúde física e psíquica, e não contribui para reduzir este grave problema de saúde pública.

As mulheres pobres, negras e jovens, do campo e da periferia das cidades, são as que mais sofrem com a criminalização. São estas que recorrem a clínicas clandestinas e a outros meios precários e inseguros, uma vez que não podem pagar pelo serviço clandestino na rede privada, que cobra altíssimos preços, nem podem viajar a países onde o aborto é legalizado, opções seguras para as mulheres ricas.

A estratégia dos setores ultraconservadores, religiosos, intensificada desde o final da década de 1990, tem sido o "estouro" de clínicas clandestinas que fazem aborto. Os objetivos destes setores conservadores são punir as mulheres e levá-las à prisão. Em diferentes Estados, os Ministérios Públicos, ao invés de garantirem a proteção das cidadãs, têm investido esforços na perseguição e investigação de mulheres que recorreram à prática do aborto. Fichas e prontuários médicos de clínicas privadas que fazem procedimento de aborto foram recolhidos, numa evidente disposição de aterrorizar e criminalizar as mulheres. No caso do Mato Grosso do Sul, foram quase 10 mil mulheres ameaçadas de indiciamento; algumas já foram processadas e punidas com a obrigação de fazer trabalhos em creches, cuidando de bebês, num flagrante ato de violência psicológica contra estas mulheres.

A estas ações efetuadas pelo Judiciário somam-se os maus-tratos e humilhação que as mulheres sofrem em hospitais quando, em processo de abortamento, procuram atendimento. Neste mesmo contexto, o Congresso Nacional aproveita para arrancar manchetes de jornais com projetos de lei que criminalizam cada vez mais as mulheres. Deputados elaboram Projetos de Lei como o "bolsa estupro", que propõe uma bolsa mensal de um salário mínimo à mulher para manter a gestação decorrente de um estupro. A exemplo deste PL, existem muitos outros similares.
A criminalização das mulheres e de todas as lutas libertárias é mais uma expressão do contexto reacionário, criado e sustentado pelo patriarcado capitalista globalizado em associação com setores religiosos fundamentalistas. Querem retirar direitos conquistados e manter o controle sobre as pessoas, especialmente sobre os corpos e a sexualidade das mulheres.

Ao contrário da prisão e condenação das mulheres, o que necessitamos e queremos é uma política integral de saúde sexual e reprodutiva que contemple todas as condições para uma prática sexual segura.

A maternidade deve ser uma decisão livre e desejada e não uma obrigação das mulheres. Deve ser compreendida como função social e, portanto, o Estado deve prover todas as condições para que as mulheres decidam soberanamente se querem ou não ser mães, e quando querem. Para aquelas que desejam ser mães devem ser asseguradas condições econômicas e sociais, através de políticas públicas universais que garantam assistência à gestação, parto e puerpério, assim como os cuidados necessários ao desenvolvimento pleno de uma criança: creche, escola, lazer, saúde.
As mulheres que desejam evitar gravidez devem ter garantido o planejamento reprodutivo e às que necessitam interromper uma gravidez indesejada deve ser assegurado o atendimento ao aborto legal e seguro no sistema público de saúde.
Neste contexto, não podemos nos calar!

Nós, sujeitos políticos, movimentos sociais, organizações políticas, lutadores e lutadoras sociais e pelos direitos humanos, reafirmamos nosso compromisso com a construção de um mundo justo, fraterno e solidário, nos rebelamos contra a criminalização das mulheres que fazem aborto, nos reunimos nesta Frente para lutar pela dignidade e cidadania de todas as mulheres.

Nenhuma mulher deve ser impedida de ser mãe. E nenhuma mulher pode ser obrigada a ser mãe. Por uma política que reconheça a autonomia das mulheres e suas decisões sobre seu corpo e sexualidade.

Pela defesa da democracia e do princípio constitucional do Estado laico, que deve atender a todas e todos, sem se pautar por influências religiosas e com base nos critérios da universalidade do atendimento da saúde!

Por uma política que favoreça a mulheres e homens a adotarem um comportamento preventivo, que promova de forma universal o acesso a todos os meios de proteção à saúde, de concepção e anticoncepção, sem coerção e com respeito.

Nenhuma mulher deve ser presa, maltratada ou humilhada por ter feito aborto!
Dignidade, autonomia, cidadania para as mulheres!
Pelo fim da criminalização das mulheres e pela legalização do aborto!

Frente nacional pelo fim da criminalização das mulheres e pela legalização do aborto
Seguem-se as assinaturas.

Redes Latino-Americanas

Campanha 28 de Setembro pela Descriminalização do Aborto - Ponto Focal - Brasil
CLADEM - Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher
FDIM - Federação Democrática Internacional das Mulheres
Red Latinoamericana de Católicas por el Derecho a Decidir
Rede Mulher e Habitat
REMTE- Rede Mulheres Transformando a Economia

Redes e Movimentos Nacionais
Articulação de Mulheres Brasileiras - AMB
Associação Brasileira de Enfermagem - ABEn
Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS - ABIA
Associação Brasileira de Psicologia Social - ABRAPSO
Associação Brasileira de Redutores de Danos - ABORDA
Associação Nacional de Familiares e Amigos de Vítimas de Morte Materna - Amaterna
Associação Humanista do Brasil
Confederação de Mulheres Brasileiras - CMB
Confederação Nacional de Associação de Moradores - Conam
Coordenação de Movimentos Sociais - CMS
Central de Trabalhadoras e Trabalhadores do Brasil - CTB
Fórum de Entidades Nacionais de Direitos Humanos
Fórum Nacional de Mulheres Negras
Jornadas pelo Direito ao Aborto Legal e Seguro
Liga Brasileira de Lésbicas - LBL
Marcha Mundial de Mulheres - MMM
Movimento de Adolescentes do Brasil - MAB
Rede Brasileira de Homens pela Eqüidade de Gênero - RHEG
Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos
Reprodutivo - RFS
Secretaria Nacional de Mulheres dos Partidos: PCB, PCdoB, PSOL, PT
Secretaria Nacional sobre a Mulher Trabalhadora - SNMT/CUT
União Brasileira de Mulheres - UBM
União Nacional de Estudantes - UNE


Organizações

ABRASCO - GT Gênero e Saúde
AGENDE - Ações de Gênero Cidadania e Desenvolvimento
APEOESP - Associação Professores do Estado de São Paulo.
Associação Cultural de Educadores e Pesquisadores da USP
Associação de Mulheres do Graal
Associação Lésbica Feminista de Brasília Coturno de Vênus
Associação Lésbica de Minas - Além
Associação de Mulheres da Zona Leste/SP - AMZOL
Associação Paulista de Defensores Públicos
Casa da Mulher Catarina
Casa da Mulher 8 de Março de Tocantins
Católicas pelo Direito de Decidir - CDD
CEDEMPA - PA
Central de Movimentos Populares - CMP
Centro de Documentação e Informação Coisa de Mulher - CEDOICOM
Centro Feminista de Estudos e Assessoria - Cfemea
Centro de Informação da Mulher - CIM
Centro Nordestino de Medicina Popular
Coletivo Feminino Plural
Coletivo Alumiá
Coletivo de Mulheres do Campo Limpo
Coletivo de Mulheres de São Mateus
Comissão de Cidadania e Reprodução - CCR
Comitê Mineiro pelo Aborto Legal
Cunhã Coletivo Feminista
Espaço Lilás
Espaço Mulher
Entre Nós - Assessoria, Educação e Pesquisa em Gênero e Raça
Fala Preta! - Organização de Mulheres Negras
Fórum de Amazônia Oriental/ FAOR - GT Mulheres
Fórum de Mulheres de Amazônia Paraense
Fuzarca Feminista
Fórum de Unidade dos Comunistas
Frente Regional de Combate à Violência/SP
Grupo de pesquisa sobre gênero e masculinidades - Gema/UFPE
Grupo de Teatro Loucas de Pedra Lilás
Grupo Curumim
IMAIS - Instituto Mulheres pela Atenção Integral à Saúde e aos Direitos Sexuais e Reprodutivos
Instituto Antígona
Instituto Papai
Instituto Patrícia Galvão
IPAS Brasil
Maria Mulher - Organização de Mulheres Negras Porto Alegre
Movimento Ibiapabano de Mulheres - MIM
Movimento de Mulheres do Guamá
Mulheres em União - Centro de Apoio e Defesa dos Direitos da Mulher
Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher NEIM/UFBA
Núcleo de Estudos sobre a Mulher Simone de Beauvoir (NEM) - RN
Núcleo de Mulheres de Roraima
Promotoras Legais e Populares de São Paulo
Promotoras Legais Populares de Porto Alegre
Observatório da Mulher
Oriashé-Sociedade Brasileira de Cultura Arte Negra.
Rede Economia e Feminismo
Rede de Mulheres Negras do Paraná
Refundação Comunista.
Secretaria da Mulher da Fecosul
Serviço da Mulher Marginalizada
SOS Corpo - Instituto Feminista para a Democracia
SOF - Sempreviva Organização Feminista
Themis - Assessoria Jurídica e Estudos de Gênero
União de Mulheres de São Paulo
União Juventude Socialista - UJS
União Estadual de Estudantes/SP
Unegro
União dos Movimentos de Moradia -UMM.

Individuais
Cecilia Sardenberg
Maria Isabel Baltar da Rocha - Núcleo de Estudos de População - NEPO Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
Regina Maria Barbosa - Núcleo de Estudos de População- NEPO Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
Sonia Nussenzweig Hotimsky
Sonia Corrêa

PARA ADERIR AO MANIFESTO: http://www.frentepelodireitoaoaborto.blogspot.com/


NÃO ME OBRIGUE A SOFRER
Campanha pelo direito à interrupção da gestação em caso de anencefalia

A anencefalia é uma má-formação incompatível com a vida. No Brasil, as mulheres grávidas de fetos com anencefalia são obrigadas a manter a gestação para enterrar o feto, instantes após o parto. Quase todos os países democráticos do mundo autorizam a interrupção da gestação de um feto com anencefalia.

O Supremo Tribunal Federal decidirá se as mulheres poderão interromper a gestação em caso de anencefalia. Nos dias 26, 27 e 28 de agosto ocorrerão as audiências públicas de instrução da Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental 54. O julgamento ocorrerá ainda em 2008.

O pedido da ADPF 54 é pelo direito de evitar o sofrimento. Nenhuma mulher deve ser obrigada a interromper a gestação. Nenhuma mulher deve ser obrigada a manter a gestação de um feto que morrerá.

Apóie esta causa. Assine a petição:
http://www.petitiononline.com/ADPF54/petition.html

  • Assista ao vídeo da campanha no You Tube.
  • Assista ao documentário "Uma História Severina", de Debora Diniz e Eliane Brum, no Google Video.
  • Assista ao documentário "Quem são elas?", de Debora Diniz, no Google Video.
  • Saiba tudo sobre anencefalia. Faça o download do dossiê Anencefalia: o pensamento brasileiro em sua pluralidade no site da Anis.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Opções de camisinha no mercado

Que usar camisinha é ruim, pode até ser um argumento válido em alguns casos, mas, porém, entretanto, todavia, há algumas opções no mercado brasileiro que estão fazendo sucesso entre os que têm uma vida sexualmente ativa. Testadas e comprovadas! Experimentem, vocês podem gostar, mas tem que experimentar antes!

Dica: aplique lubrificante no pênis ou na camisinha antes de usá-la! A sensação é melhor! Qualquer dia desses falamos mais sobre os lubrificantes, acessórios e outras idéias prazerosas. Temos algumas opções interessantes no mercado.


Blowntex Extra Fino
A espessura do látex desta camisinha é realmente mais fina. Você percebe pela embalagem, segundo algumas pessoas "com esta nem parece que você está usando camisinha, não se perde a sensibilidade!". Além disso, o cheiro de látex é menor.



Blowtex Action
Esta camisinha é texturizada de modo a proporcionar maior prazer para nós, mulheres! As texturas provocam sensações diversas, estimula tanto o pênis quanto a vagina. Vale a pena experimentar!



Blowtex Performe
Proporciona uma liberdade maior ao pênis, pois tem 65 mm na ponta, não aperta a glande do pênis. Mas, no corpo do preservativo a largura é de 52 mm, tamanho padrão das camisinhas o que não deixa a camisinha escorregar. Esta camisinha também é texturizada.




** Os dois últimos modelos comentados são mais fáceis de serem encontrados em farmácias, mercados, postos de gasolina. O primeiro modelo (extra-fino) encontra-se com mais dificuldade, mas está sendo difundido no mercado. Caso você não encontre, avise o responsável pelo atendimento da empresa que você gostaria de encontrar tal produto no estabelecimento. Requer e comunicar o requerimento é necessário para o seu bem-estar. Não se esqueça disto!

*** Embora pareça que estou fazendo propaganda para marca Blowtex isto não se constitui. Este teste consiste no método empírico de análise. Outras marcas e tipos de camisinha foram testados e o sucesso não foi constatado. Experimente e quem sabe você não participa da discussão sobre como melhorar a qualidade das camisinhas. Entre nos sites dos fabricantes de camisinhas e diga o que você quer, qual produto te agradou e porque. Talvez, essa seja uma forma de tornar o uso de camisinhas algo que não seja necessário de ser dito e difundido. A cultura do uso depende de nós! Quem será beneficiado? Hummmm... nós mesmos?

USEEEEE!

Cartoon de Alledo, RJ, disponível em: http://www.aids.gov.br/humor/galeria/index.htm

Mais uma opção de presente! Presentei aquele (a) que você ama ou não ama, mas gosta de fazer sexo com ele (a) usualmente, frequentemente ou raramente. Não importa o tipo de relação que você tem com o outro, se for transar, fazer amor ou sexo puro USEEEEE CAMISINHA!

USEEEEEEE!

Cartoon de Arraya, Brasil, disponível em: http://www.aids.gov.br/humor/galeria1/index.htm.

Se joga que o latex segura!

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Natureza sexual

Algumas palavras do reino vegetal e animal têm uma origem libidinosa, conforme é possível verificar a seguir:

Hormônio
Deriva do grego hormôn que significa excitar. Passou a nomear substâncias que, em quantidades mínimas, interferem de maneira agressiva no corpo. O cientista Brown-Séquard descobriu, no final do século XIX, o hormônio masculino nos testículos dos animais, ele retirava e injetava em si mesmo por acreditar nas virtudes afrodizíacas e energizantes do material. A crença nos afrodisíacos abriu caminho para especulações criativas, que levaram a descoberta dos hormônios, ao atribuir aos testículos de inúmeros animais o poder estimulante de levantar o ânimo sexual dos homens.

Almíscar
Substância com antiga reputação afrodisíaca, o almiscar deriva do persa mushk, que significa "testículo" e, por meio do árabe almisk chegou aos idiomas europeus. Na esquadra de Fernando de Magalhães, em 1519, o cronista Pigaffeta, dizia que o almíscar vinha da China e era obtido depois que se aplicava sanguessugas a castores, segundo Henrique Carneiro, Amores e Sonhos da Flora: Afrosíacos e Alucinógenos na Botânica e na Farmácia, Editora Xamã, 2002. Segundo Carneiro, os portugueses chamavam o almíscar de "algália" e confundiam os animais a que se atribuía a origem da substância, como as gazelas, os gatos da algália e até cabritos.

França: um Estado laico?


Jean Effel


Em junho deste ano soube de uma reportagem do jornal francês "Libération", o qual polemizava a decisão do Tribunal de Grande Instância de Lille, no norte da França, acerca de uma anulação de matrimônio envolvendo um casal islâmico.

O homem
30 anos, Engenheiro muçulmano; francês de ascendência argelina.

A mulher
20 anos, francesa de ascendência argelina; não era virgem.

O caso
ELE entrou com pedido de anulação do casamento na Justiça ao descobrir na noite de núpcias que sua recém-esposa não era virgem.

A decisão
A justiça francesa aceitou e julgou o caso, depois de passar por várias instâncias até o veredito final em Lille. O resultado do processo foi favorável ao marido, pois a noiva mentiu ao marido a respeito de suas VIRTUDES MORAIS E RELIGIOSAS. Isto comprometia a relação das partes envolvidas na constituição familiar.

Polêmica
Os protestos sobre a decisão ressoaram em diversos segmentos da sociedade francesa. Falou-se em retrocesso, direitos da mulher, tolerância e intolerância cultural e étnica, intervenção da religião na instituição laica do casamento, respeito às normas religiosas, etc.

Estado laico e casamento
Quando se vive em um país, você deve seguir a jurisprudência deste país, certo? Na França, os cidadãos são iguais perante a lei, indiferente das crenças religiosas ou políticas, ou seja, a lei é a mesma para todos os cidadãos franceses. Isto significa que se você mora na França deve se submeter às leis desta República. Na França, o Estado é laico. A instituição do casamento também. A questão da virgindade não é algo público e questionável em juri, mas algo íntimo e privado. A presença do hímen é sinônimo de virgindade?
O perigo que este caso apresenta é o de aplicar a lei, comum aos cidadãos franceses, sob a ótica e perspectiva da moral e dos costumes, crenças religiosas. Me parece que neste caso, a jurisprudência francesa deixou de existir e o que passou a regular o caso foram os costumes e normas religiosas de uma comunidade.


domingo, 10 de agosto de 2008

Aborto: a decisão é de quem?




A decisão acerca do aborto é de quem? Do Estado? Da Religião? Da justiça? Do homem? Da muher?








Marcha Mundial da Mulheres; foto de Anderson Barbosa;
extraída de: http://www.flickr.com/photos/fotojornalistaandersonbarbosa/2899360628/

Li que a decisão é a da mulher. Afinal de contas é o corpo dela. Afinal de contas a responsabilidade maior é sempre dela. Os cuidados com a criança é mulher que DEVE ter. Então, a decisão cabe a ela!
Li também que a decisão é de todos os envolvidos sexualmente no fato, ou seja, o homem e a mulher. Afinal de contas, a concepção dependeu diretamente do espermatozóide e do óvulo.

Li outras coisas que envolviam o Estado, a Religião e a Jurisprudência. Estes, discutem coisas ligadas ao aspecto moral, religioso e político.
Conheço filhas de religiosos fervoros que admitem já ter feito um aborto, a mocinha que disse que foi fazer um intercâmbio nos Estados Unidos, mas, na realidade foi pra Argentina fazer um aborto e dar um tempo do ex-namorado que terminou com ela assim que soube do futuro reservado a ambos: serem pais!
Conheço a mocinha, filha do político boa praça na igreja nos finais de semana que também fez uma cirurgia as 2 da manhã e sangrou durante o dia seguinte inteiro, porque tinha que extrair de seu útero a sem-vergonhice do final de semana chuvoso em que os pais estavam viajando e ela tinha transado sem camisinha com o namorado.
Quem fez essas cirurgias? Tenho certeza que não foi um veterinário!
A decisão nos casos citados acima não foi apenas da mulher, mas, da família, da religião e do status social. Todas elas optaram pelo aborto, na medida em que elas e as famílias não queriam que elas parecessem mulheres imorais e sexualmente ativas. Imagina ter q explicar 2 metros de barriga à comunidade religiosa sem ter festa de casamento, anel, lua de mel, etc!

O mais engraçado ou ironico disso tudo é perceber que a decisão continua sendo da mulher! Quero ver a mulher que decidir abortar e nao abortar porque a família, o Estado, a Polícia, o namorado impediu!

aborto: moralismo?


Grupos feministas realizaram uma manifestação em solidariedade às mais de duas mil mulheres que estão atualmente ameaçadas de prisao por pratica de aborto. O ato aconteceu na Praça Ramos de Azevedo e o tema central foi a descriminalização do aborto e o lançamento da Frente Nacional pela Legalizaçao do Aborto e parte das ações do Dia Latino Americano e Caribenho pela Legalização do Aborto.

Foto e texto de Anderson Barbosa; extraído de: http://www.flickr.com/photos/fotojornalistaandersonbarbosa/2898518877/

Aborto: minha amiga fez!

Maurício Bastos, extraída de: http://www.mauriciobastos.com/


Quantas pessoas você conhece que já fizeram um aborto?

Você sabia que a cada 100 mulheres, 33 afirmam conhecer alguém que fez o aborto? Mas, que somente 4 admitem ter recorrido ao procedimento?

Dado intrigante, né? Tanta gente conhece alguém que fez o aborto, mas pouca gente admite. Será que o fato do aborto ser uma prática ilegal, as pessoas se sentem coagidas a não serem sinceras ao responderem um questionário de uma pesquisa? Você responderia positivamente à questão "você já fez uma aborto?" em uma pesquisa, caso tivesse recorrido ao procedimento? Perguntaria e me certificaria que nada pudesse ser feito contra mim judicialmente. Aí, então, responderia. Além disso, temos outros fatores que justificam porque só as amigas fazem.

O problema maior que uma mulher deve enfrentar é a questão moral: imagina uma mocinha de 20 anos contar pro namorado que quando tinha 16 anos, ela engravidou do ex-namorado e teve que abortar porque ambos não tinham condições financeiras e emocionais de ter aquela criança. Será que o atual namorado continuaria o relacionamento com ela? Quer algo pior? Imagine o sentimento de culpa que esta mocinha deve sentir sempre que percebe que as amigas, a escola e a maior parte das pessoas afirmam serem contra o aborto. Ter a segurança e ser responsável para afirmar que um dia você praticou uma atitude ilegal não é para qualquer cidadão, por isso o percentual de mulheres que admitem ter abortado pula para 7% na faixa etária dos 22 aos 25 anos. E esse percentual é maior ainda quando se trata de mulheres com melhores condições financeiras ou com projetos de vida como a faculdade ou a carreira profissional, 9%.

O que tenho achado mais interessante até agora nas pesquisas que tenho feito é a quantidade de homens que são contra o aborto. Interessante. Eles não ficam de 7 a 9 meses inchados, enjoados, com azia, com a sensibilidade à flor da pele, etc. Além disso, há a responsabilidade materna que diga-se de passagem é bem maior, amamentar, trocar as fraldas, educar, ensinar a comer, a usar o vaso sanitário, a se limpar.... uau! Interessante. Os argumentos para tal postura variam, mas a maior parte recai na velha ideologia religiosa: o valor da vida humana.

Mais vale um ser humano que passe fome e não tenha educação do que a inexistência do mesmo.

Aborto ilegal é maior causa de morte materna

Imagem de Maurício Bastos; título: O Céu e o Tempo;
extraída
de http://blog.mauriciobastos.com


Alguns minutos online e vc encontrará diversos dados sobre a questão do aborto no Brasil. Os dados revelam que apesar de proibido, a prática do aborto existe e é feito no Brasil. MAs, quem são os médicos e quem são essas mulheres? Essa pergunta será um dia respondida? Hipocrisia acreditar que a prática do aborto não faz parte de nossa realidade! E nem ousem imaginar que a gravidez pode ser evitada por meio de contraceptivos como a camisinha, o anticoncepcional ou a pílula do dia seguinte. A existência desses métodos contraceptivos é uma coisa bastante distante do uso dos mesmos. O que quero dizer é, simplesmente, que: no Brasil, não há uma cultura do uso de métodos contraceptivos.
Uma das reportagens que li acerca do aborto dizia que a maior causa de morte materna em cidades pernambucanas, como Petrolina, era devido ao aborto ilegal. Os dados foram coletados e divulgados pela CFemea - Centro Feminista de Estudos e Acessoria - e pela Gerência de Saúde da Mulher. Os dados revelam que em Recife, no ano de 2007, ocorreram 1.835 internações para procedimentos obstétricos relacionados ao aborto em maternidades municipais e 2442 internações para procedimentos de aborto. Pouco?
A taxa de abortos induzidos em Pernambuco varia de 30% a 70%, numa faixa etária de 15 a 44 anos. O CFemea afirma que a ilegalidade do aborto leva à subnotificação e ao sub-registro de informações relacionadas ao aborto no SUS, contribuindo para o aumento dos riscos à saúde a à vida das mulheres.
Entretanto, os grupos de mulheres são afetados de forma desigual em todo o país. As diferenças sociais e econômicas afetam o acesso aos serviços à saúde nos diferentes grupos étnicos e raciais brasileiros.


terça-feira, 5 de agosto de 2008

USEEEEE!

Cartoon de YU LIANG, China, disponível em: http://www.aids.gov.br/humor/galeria1/index.htm.

Aborto: você é a favor ou contra?


Este mês a capa da revista Sociologia coloca em destaque antigos personagens, figurinos e roteiros: o aborto, suas implicações legais e religiosas. Isto me incitou a determinar que nesta semana o tema a ser discutido no blog será: o aborto (1).
Em busca de outras informações sobre o assunto me deparei com o texto de José Roberto Goldim, http://www.ufrgs.br/bioetica/abortobr.htm, publicado em 1998, atualizado em 2004, onde o autor levanta questões sobre os projetos de lei 183/04, que permite o aborto apenas em casos, os quais o feto se desenvolve sem cérebro (anencéfalo), 227/04 que retira a punição dos casos de aborto de fetos anencéfalos e 312/04 que retira do Código Penal a interrupção de gravidez como crime.
Além disso, tive a felicidade de encontrar o blog da Patrícia Rangel, muito bom, especialmente porque encontrei reportagens, informações importantes e colocações interessantes. E, algumas informações encontradas lá serão aqui também. Quer começar a pensar o que você pensa sobre o aborto? Vai lá: http://patirangel.blogspot.com, localize "papo sério" e comece a pensar!

Quem sabe até o fim da semana a gente não começa a agir! Esse é o objetivo!

sábado, 2 de agosto de 2008

"Nem antigo. Nem moderno. Atual."



Uma dica pra quem tem interesse em conhecer mais sobre a história do sexo.
Um museu on-line elaborado pela Profa. Dra. Carmita H. N. Abdo, psiquiatra, coordenadora do Projeto Sexualidade (ProSex), do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; e Coordenadora Geral do Portal da Sexualidade.
Belíssimas imagens!
Textos sobre o conceito de sexualidade; história sobre a Antropologia da sexualidade; Arte Erótica; Sedução Prazer e Erotismo.

Vale a pena conferir!


www.museudosexo.com.br

quarta-feira, 30 de julho de 2008

USE!


Cartoon de Kang, publicado no 1° Festival Internacional de Humor DST & Aids, disponível em www.brazilcartoon.com/

Sexo e Religião

Imagem de Banksy, retirada de http://www.banksy.co.uk/drawing/draw_frameset.html

Estive pensando na postagem anterior e comecei a refletir sobre a entrevista da autora de "A cama na varanda". O sexo nas religiões judaico-cristãs é sempre algo ligado ao pecado? Somos mulheres pecadoras? E se somos homossexuais? Vamos pro inferno? A religião tem mesmo que interferir na vida sexual de seus seguidores? Se a pratica sexual é saudável e torna as pessoas mais felizes, por que as religiões judaico-cristãs não afirma isso e ponto?
Mulheres se libertem de suas crenças religiosas!

sábado, 26 de julho de 2008

Você acredita que sexo é amor?

Enviado por uma amiga via e-mail, esta entrevista tem muito a dizer sobre a repressão sexual feminina. Se você tem pensado que é frígida ou está insastifeita sexualmente ou, ainda, que é normal não achar fantástico fazer sexo, leia isto e repense os seus atos e os atos que andam cometendo com você!

Uma vida sexual saudável é fundamental pra se viver bem!
Vale a pena a masturbação, o sexo descompromissado sem culpas, dildos, e principalmente falar de sexo com parceiros (as) e amigos (as).
E NÃO ESQUEÇA: A VERTICAL INFLUÊNCIA A HORIZONTAL! Quando as coisas não vão bem na vertical, ou seja, quando a comunicação está extinta ou com problemas em uma relação a vida sexual do casal também está extinta ou em vias de se extinguir.




Comportamento | 16/07/2008 - AGÊNCIA O GLOBO

Mulheres ainda são muito reprimidas, diz sexóloga


Especialista alega que o casamento atrapalha a busca pelo prazer
Mariana Vianna


Conhecida por suas declarações polêmicas e pelo livro "A cama na varanda", best-seller que marcou uma geração, a sexóloga Regina Navarro Lins torce pela chegada do dia em que as mulheres vão conseguir fazer sexo sem compromisso sem ficarem inseguras no dia seguinte, como mostra uma pesquisa britânica recente.

E assim como o psicanalista Wilhelm Reich, ela acredita que os desejos sexuais reprimidos são fonte de uma série de insatisfações. Em entrevista, ela critica o casamento e afirma que devemos assumir que o tesão e a atração por pessoas variadas não acaba quando iniciamos um relacionamento exclusivo.

Entrevista - Regina Navarro Lins, sexóloga


Sexo é fundamental?
Sim, sem dúvida o sexo é fundamental para a felicidade do indivíduo e do casal. O orgasmo é o maior prazer físico que podemos experimentar. Uma das teorias do psicanalista Wilhelm Reich é a de que a energia orgástica tem que fluir de forma livre. Se for bloqueada, cria as neuroses, a insatisfação e as enfermidades psíquicas.

Além do bem que faz para a saúde, o sexo também é fundamental para o bem-estar emocional. O problema é que as pessoas fazem menos sexo do que gostariam, e poucas são aquelas que se satisfazem realmente com o ato sexual. Se o sexo é tão fundamental como as pesquisas mostram, acho que o prazer sexual deveria entrar na pauta da saúde pública.

As pessoas ainda têm dificuldade de se satisfazer sexualmente?
O sexo ainda é visto como uma coisa suja, feia, vergonhosa. Está associado ao pecado e a culpa. Já reparou que todos os palavrões fazem referências sexuais? As pessoas ainda encaram o sexo de um jeito contido, têm medo de se soltar. As mulheres sofrem muito mais com isso, já que são educadas para pensar que sexo deve sempre está ligado ao amor.

Isto não está mudando?
Mesmo com toda a informação disponível, elas ainda são muito reprimidas. As mulheres, principalmente aquelas que já passaram dos 45 anos, estão em desvantagem. Hoje, por causa da reposição hormonal, elas até têm vontade de fazer sexo, mas vários fatores acabam impedindo que elas se satisfaçam realmente.

As mulheres, como um todo, são muito prejudicadas pela educação judaico-cristã que recebemos, assim como a visão patriarcal que enraizou o pensamento de que o sexo é algo sujo ou que leva à culpa.

Qual o maior obstáculo para o prazer feminino?
Acho que estamos em um momento de profunda transformação, mas é claro que o preconceito ainda existe. O número de mulheres que quer corresponder às expectativas masculinas é enorme, assim como a quantidade delas que não consegue atingir o orgasmo.

Existe um grande desencontro sexual por causa de preconceitos e cobranças culturais. O casamento, por exemplo, é o mais óbvio dos erros.

Por que diz isso?
O sexo acaba no casamento. Primeiro pelos motivos mais óbvios: o excesso de intimidade e a rotina burocrática. Mas acredito que a exigência de exclusividade é o que acaba com a sedução neste tipo de relação. A exclusividade leva a uma dependência emocional, a uma simbiose parecida com que as mães têm com seus filhos. Não há tesão que resista.

O que meu marido faz longe de mim não me diz respeito. Não é porque você sabe tudo que seu parceiro está fazendo que aquela relação está garantida. Quando um casamento acaba é que percebemos o quanto o contrato de exclusividade não vale nada. A dependência acaba com a sedução e um pouco de insegurança é necessário para manter o outro interessado.

A relação pode sobreviver a uma traição?
Acho que uma das maiores mentiras é a de que uma traição é sinal de que uma relação não vai bem. É natural do ser humano gostar e querer variedade. É perfeitamente possível sentir tesão por mais de uma pessoa ao mesmo tempo, assim como amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo. O que você sente por um não exclui o que você sente pelo outro. Não é porque estamos em uma relação que deixamos de sentir tesão quando vemos alguém atraente.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Agenda Médica da Mulher com mais de 20 anos

AGENDA MÉDICA DA MULHER COM MAIS DE 20 ANOS SEXUALMENTE ATIVA

EXAME

O QUE É

PRA QUE SERVE

QUEM DEVE FAZER

QUANDO

SITUAÇÕES DE RISCO

Exame pélvico e das mamas

Observação visual do colo do útero, com toque e apalpação dos órgãos reprodutivos e dos dos seios

Verificar a presença de corrimentos anormais e infecções ou doenças na região do colo do útero, e de nódulos e outras irregularidades nos ovários, trompas e nas mamas

Todas as mulheres de mais de 20 anos que tem vida sexual ativa

Anualmente, fora de situações de risco

Início precoce da atividade sexual, gravidez antes dos 18 anos, mais de quatro gestações, multiplicidade de parceiros, histórica de doença venérea, higiene vaginal precária

Mamografia

Investigação radiológica das mamas

Detectar microcalcificações e outros sinais do câncer de mama

Todas as mulheres de mais de 30 anos

Depois da primeira, a cada três anos fora de situações de risco, do contrário, anualmente

Mulheres com história familiar de câncer, ou que menstruaram cedo, ou que não tem filhos ou que engravidaram após os 30 anos

Papanicolaou (útero)

Análise de células retiradas do colo do útero

Detectar o câncer de colo de útero

Todas as mulheres de mais de 20 anos que tem vida sexual ativa

Anualmente, no início, durante três anos consecutivos. Diante da ausência de irregularidades depois disso, a critério médico

-

Colposcopia (útero)

Observação visual do colo do útero ampliada com o auxílio de fonte de luz e lupa

Detectar a presença de infecções, irregularidades ou sinais de doenças

Todas as mulheres de mais de 20 anos que tem vida sexual ativa

Anualmente, no incío, durante três anos consecutivos. Diante da ausência de irregularidades depois disso, a critério médico

-

Colesterol e triglicérides

Análise laboratorial do sangue

Prevenir doenças cardiovasculares

Todas as mulheres de mais de 35 anos

A critério médico

Mulheres fumantes, hipertensas, com história familiar de colesterol elevado ou com obesidade

Glicemia de jejum

Análise laboratorial do sangue

Prevenir o diabetes

Todas as mulheres de mais de 35 anos

A critério médico

Mulheres com suspeita de distúrbio associados à produção de insulina

Eletrocardiograma em repouso

Observação da frequência cardíaca em descanso

Detectar problemas com o batimento cardíaco

Todas as mulheres de mais de 35 anos

A critério médico

-

Eletrocardiograma de esforço

Observação da frequência cardíada em movimento acelerado

Medir o potencial adequado de esforço físico

Mulheres de mais de 35 anos, sedentárias, em início de condicionamento físico

A critério médico

-

http://www2.uol.com.br/assuntodemulher/exames.htm